Após 10 meses no cargo, Edval Novaes deixa a Secretaria de Segurança

O secretário de Segurança e da Paz Social, Edval Novaes, vai deixar a pasta após 10 meses no cargo. A saída causou surpresa no Palácio do Buriti e nas forças de segurança, uma vez que o governo do DF anunciou, esta semana, o menor índice de homicídios na capital do país em 29 anos e queda na criminalidade.

Mas nem tudo são flores na área. A Polícia Civil passa por uma crise política sem precedentes. A categoria reivindica equiparação salarial com a Polícia Federal há mais de dois anos. Mesmo sendo promessa de campanha do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), o pleito não foi atendido.

O diretor-geral da PCDF, Eric Seba, tem sido pressionado por delegados e agentes a deixar o cargo. A manutenção dele no comando da corporação motivou o vazamento de áudios com o intuito de “queimar” Eric Seba.
Em carta enviada ao governador, Edval Novaes alegou motivos pessoais para deixar a pasta. Ele é delegado da Polícia Federal. “Por uma decisão de cunho pessoal, resolvi me aposentar, deixar o serviço público e cuidar dos meus entes queridos e dos meus interesses pessoais”, explicou.

Em seu lugar, será efetivado o atual adjunto, Cristiano Barbosa Sampaio, que também é do quadro da PF. Novaes foi o terceiro secretário a assumir a área de Segurança na gestão do socialista.

Em evento na manhã desta sexta-feira (2/2), Rollemberg disse que está de “coração partido” com a saída de Edval. “Infelizmente, ele está saindo. Vai se aposentar e voltar para o Rio de Janeiro, onde mora a família dele”, contou. O chefe do Executivo local explicou que é muito importante para a área dar continuidade às ações deflagradas e, por isso, decidiu manter Cristiano Sampaio à frente da pasta.

Currículo
Sampaio foi juiz no Tribunal de Justiça da Bahia (2002-2003), onde já era servidor concursado desde 1994. Assumiu o cargo de delegado da Polícia Federal no Pará. Em 2005, veio para Brasília e atuou como chefe-substituto da Unidade de Repressão aos Crimes Cibernéticos em Brasília.

No currículo dele ainda constam passagens pela Delegacia de Combate a Crimes Contra o Patrimônio em Alagoas (2007-2008), chefe da Delegacia de Polícia Federal em Ilhéus (2008-2009) e superintendente Regional da Polícia Federal (2011-2013) no Maranhão.

Em 2013, voltou a Brasília para assumir a Diretoria de Operações da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), do Ministério da Justiça, quando atuou como Coordenador Nacional da Segurança da Copa do Mundo 2014 e Coordenador da Segurança dos Jogos Olímpicos Rio 2016 no Rio de Janeiro.

Confira a íntegra da carta de Novaes ao governador Rodrigo Rollemberg:

Ao cumprimentá-lo cordialmente, venho por meio do presente expor para ao final requerer, como segue:

Desde que fui convidado por Vossa Excelência a assumir a pasta da SEGURANÇA PÚBLICA E DA PAZ SOCIAL do Distrito Federal, além da honra, senti-me motivado pelo programa de governo e pela proposta séria e técnica voltada ao tema de tão relevante importância à população do Distrito Federal.
Fui acolhido pelos Comandantes-Gerais e pelos Diretores-Gerais das quatro forças que fizeram e fazem a diferença na observância e execução dos princípios e diretrizes insculpidos no programa VIVA BRASÍLIA, NOSSO PACTO PELA VIDA, que inclui, dentre outras iniciativas das forças de segurança, a filosofia de seu governo em busca da paz social. Isso permitiu-nos avançar, apesar das dificuldades porque passava o Governo do Distrito Federal, em face da forte crise econômica que o impedia em realizar mais. Vale dizer que em 2017 fizemos muitas entregas previstas, como as tornozeleiras eletrônicas e o dispositivo VIVA FLOR.

Cumpre destacar a redução de quase todos os índices de criminalidade. Em especial a redução dos homicídios, onde tivemos o menor número de ocorrências dos últimos 15 anos (498 ocorrências) e a menor taxa índice de homicídios dos últimos 29 anos, 16,3 homicídios por cada grupo de 100.000 habitantes.

Na esteira desse recorde histórico de seu governo em 2017, o mês de janeiro de 2018 continua com queda dos números e com outro recorde, que é o de menor número de ocorrências de homicídios para um mês de janeiro desde o início da série histórica em 2000, apenas 32 ocorrências.

Entretanto, depois de mais de 30 anos de serviço, sendo quase 22 deles na Polícia Federal, o último como Secretário da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal e dez como Subsecretário na Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, pouco mais de cinco no Exército Brasileiro, onde cheguei ao Posto de 1° Tenente, e um ano e meio como Policial Rodoviário Federal, além de algum pouco tempo em empresas privadas, necessito fazer uma escolha pessoal necessária. Por isso, por uma decisão de cunho pessoal, resolvi me aposentar, deixar o serviço público e cuidar dos meus entes queridos e dos meus interesses pessoais.

Em face disso, desejo primeiro, uma vez mais, deixar consignado à Vossa Excelência os meus sinceros agradecimentos pela confiança em mim depositada, pela honra de ombrear-me aos demais Secretários, aos nobres Comandantes-Gerais e Diretores-Gerais das quatro forças – e todos(as) os(as) colegas policiais, bombeiros e do Detran -, bem como aos meus Subsecretários, Chefes de Unidades e demais colaboradores da SSP-DF, com os quais tive o privilégio de deixar como marca indelével de seu governo uma redução expressiva dos indicadores de CVLI no DF.

Aproveito para desejar-lhe ainda mais sucesso em seu programa de governo, que possa continuar entregando à população do Distrito Federal resultados ainda mais positivos e que a nossa Capital da República seja o exemplo das boas práticas de integração entre as secretarias de governo, as forças de segurança e a população, por uma segurança pública cada vez mais cidadã, ofertando paz e tranquilidade a todos que aqui vivem.

Por fim, tem o presente o objetivo de REQUERER a Vossa Excelência a minha EXONERAÇÃO a pedido do honroso cargo de Secretário de Estado da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal, a partir da data de hoje, do que, desde já agradeço e despeço-me com a devida cordialidade.

Respeitosamente,
EDVAL DE OLIVEIRA NOVAES JÚNIOR

Secretário de Estado da Segurança Pública e da Paz Social

FONTE: Metrópoles


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *