Moradores do DF devem sofrer com intenso calor ao menos até quinta

Nos últimos dias, a chuva deu trégua e o calor tem marcado presença no Distrito Federal. A maior temperatura do ano — até o momento — foi registrada no domingo (21/1): os termômetros apontaram 30,2ºC, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

 

                                                Em janeiro de 2017, o pico foi de 32,2ºC, no dia 9. O calor, porém, foi mais intenso no ano passado, em 14 de outubro, quando a temperatura chegou a 34,8ºC, de acordo com o meteorologista do Inmet Manoel Rangel.

 

As altas devem durar ao menos até quinta-feira (25/1), quando há previsão das chuvas voltarem, segundo o meteorologista. “Daqui até lá, o brasiliense vai conviver com muito sol, poucas nuvens, temperaturas elevadas e queda na umidade relativa do ar”, detalha.
Ele explica que o Distrito Federal está passando por um veranico — quando há ausência de precipitações no período chuvoso. De acordo com ele, esse fenômeno é comum.

Para segunda-feira (22/1), a previsão é de que a mínima seja de 17ºC e a máxima de 31ºC. A umidade relativa do ar deve variar entre 75% e 35%. “Essa é a tendência média da semana”, comenta o meteorologista.

Volume de chuva
Por conta do período em que a chuva insiste em não cair do céu, janeiro de 2018 corre o risco de não alcançar a média histórica. Para o mês, são esperados 247mm — até este domingo, porém, choveu apenas 38,8% desse volume.

Hoje, o nível do reservatório do Descoberto, responsável pelo abastecimento de 51% da população brasiliense, estava em 40,1%. O de Santa Maria/Torto chegou a 33,6%. Não há, no entanto, perspectiva de quando acabará o racionamento imposto devido à crise hídrica.

 

FONTE: Metrópoles


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *