Acessos ao Portal da Transparência subiram 63% em 2017

Os acessos ao Portal da Transparência, do governo de Brasília, aumentaram 63% em um ano em relação ao exercício de 2016. Até dezembro de 2017, a página foi visitada por 266.663 usuários.

Do público que consultou a página na internet, 45,8% são mulheres e 54,1%, homens. Em relação à idade dos usuários, 33,5% têm entre 25 e 34 anos. Outros 27,5% têm entre 18 e 24 anos, e 15,5% estão na faixa etária entre 35 e 44 anos.

Os dados são da Controladoria-Geral do Distrito Federal, órgão responsável pela plataforma que dá visibilidade a informações sobre diversas esferas do Executivo local.

Para formação e organização dos dados de acesso, o órgão utiliza a ferramenta Google Analytics, que formula estatísticas de visitação dos sites cadastrados.

Por meio do portal, qualquer cidadão pode ter informações de seu interesse, como orçamento de secretarias, licitações, gastos de administrações regionais e dados sobre órgãos deliberativos, como conselhos e comitês.

Entre as informações mais acessadas estão a remuneração dos servidores, com 38% das buscas, e aquelas relacionadas à administração de pessoal, como cargos vagos e lotação (22%).

Consultas sobre despesas do governo somaram 21% das visitas ao site, informações sobre beneficiários de programas sociais totalizaram 15%, e licitações e contratos, 4%.

O controlador-geral do DF, Henrique Ziller, atribui o aumento de acessos à credibilidade do sistema. Segundo ele, quanto mais o governo aprofunda a transparência e os serviços de ouvidoria, mais o cidadão reage com confiança no Estado.

Para Ziller, outro fato importante nessa construção foi a Lei de Acesso à Informação (LAI), que ele considera um marco na relação do cidadão com o poder público.

“A lei serviu como indutor não só da melhoria na prestação de serviço público, mas também do preparo do Estado para dar as informações”, completa.

Reformulação do portal
Com a reformulação da plataforma em 2016, o site ficou mais intuitivo, de acordo com a coordenadora de Transparência, da Subcontroladoria de Transparência e Controle Social, Rejane Vaz de Abreu.

Segundo ela, a tecnologia mais moderna possibilitou menos cliques para o interessado chegar ao detalhamento de dados. “É melhorando as ferramentas que a gente consegue aumentar a procura pelas informações públicas.”

Em 20 de outubro, a população também conquistou a possibilidade de consultar o salário dos servidores que trabalham em empresas estatais.

O DF tornou-se assim a primeira unidade da Federação a adotar a medida, que inclui até a remuneração dos funcionários do Banco de Brasília (BRB).

FONTE: Agência Brasília


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *