Propostas do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios para 2018 serão debatidas na segunda (11)

A Secretaria do Meio Ambiente promove, na segunda-feira (11), o 19º Fórum do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais. A ideia é avaliar as ações de 2017 e apresentar propostas para 2018.

Aberto ao público, o evento será das 9 às 18 horas, no auditório da Escola de Governo do Distrito Federal (Egov), que fica no Setor de Garagens Oficiais, Quadra 1, Lote 1, Bloco A.

O objetivo do plano, que é atualizado anualmente, é reduzir, em número e extensão, a ocorrência de incêndios florestais no DF. Para isso, envolve os órgãos ambientais e tem como princípio a cooperação, para melhor aplicação dos recursos humanos e materiais disponíveis.

Propostas do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios para 2018
Entre as propostas para o próximo ano estão:

  • Manutenção de campanha publicitária
  • Inserção de mensagens educativas nas contas de água e de luz
  • Elaboração de um plano de comunicação integrada
  • Manutenção de mutirões de educação ambiental em áreas críticas próximo às unidades de conservação

Números de hectares queimados e registros de ocorrências desde 2015
Segundo o Grupamento de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, a área queimada no Distrito Federal neste ano — 15.996,59 hectares — foi maior do que nos últimos dois anos: 15.811,99 em 2016 e 12.665,08 em 2015.

O número de ocorrências registradas também aumentou. Foram 9.970 em 2017; 6.944 em 2016; e 5.229 no ano anterior.

Por causa da seca intensa, os meses de julho a outubro apresentaram os maiores números de hectares queimados e de registros de ocorrências.

O que é o Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do DF
Criado em 1996, o Plano de Ação de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do DF foi reformulado pelo Decreto nº 37.549, de 15 de agosto de 2016, que estabeleceu ainda o Sistema Distrital de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais.

O programa é voltado para promoção, prevenção e apoio a atividades educativas e de saúde relacionadas a queimadas. Entre os objetivos estão proteger unidades de conservação no DF e áreas de proteção de mananciais, prevenir incidentes e fiscalizar queimadas.

 

FONTE: Agência Brasília


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *