Greve na CEB: Justiça manda funcionários resolverem todos chamados emergenciais

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Brasília determinou neste sábado (11) que os funcionários da CEB atendam “prontamente” 100% dos chamados relacionados a problemas emergenciais e de suspensão de energia elétrica. Os trabalhadores estão em greve desde o dia 6 de novembro. Até a última atualização desta reportagem, o sindicato dizia não ter sido notificado.

A decisão é do presidente do TRT, desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran, após o governo acionar a Corte na sexta (10) para tentar suspender a paralisação.

Ela vale para problemas relacionados ou não às chuvas que atingiram o DF e deixaram imóveis de todas as regiões sem energia. Na quinta-feira, o G1 mostrou que houve pelo menos 2,5 mil chamados relacionados à chuva.

Ainda de acordo com a decisão do TRT, para as demais atividades, os funcionários da CEB deverão garantir o contingente mínimo de 50% enquanto continuar a greve. Em caso de desrespeito, a multa é fixada em R$ 100 mil por dia.

No entendimento do presidente do TRT, só será possível analisar se a greve é abusiva quando o assunto for levado a plenário. Ele afirmou ainda que o direito de greve é legítimo, mas requer ao mesmo tempo a “prestação de serviços essenciais de forma segura, sem qualquer ameaça a outros direitos garantidos em lei”.

“[…] Nos últimos dias, a população do Distrito Federal tem sofrido diversos incidentes de queda de energia elétrica, inclusive com graves prejuízos, em decorrência de fortes chuvas em vários pontos da cidade”, declarou o desembargador Foltran.

O magistrado fixou uma nova audiência de conciliação entre os grevistas e a CEB. Ela está marcada para a próxima terça-feira (14), às 17h.

 

FONTE: G1/DF


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *