PSD ‘desembarca’ do governo, e Rollemberg demite secretário de Justiça

O Partido Social Democrático (PSD) do Distrito Federal anunciou, nesta sexta-feira (10), que não vai mais integrar a base aliada de Rodrigo Rollemberg. O “desembarque”, segundo a legenda, foi decidido pela maioria da Executiva Regional do partido. A legenda abriga o atual vice-governador, Renato Santana, que deve seguir no cargo até 2018.

Momentos após o anúncio, o Palácio do Buriti anunciou a demissão do secretário de Justiça, Arthur Bernardes, empossado no cargo em março deste ano. Antes, o político chegou a ocupar a Secretaria de Economia e Desenvolvimento Sustentável do governo.

A exoneração deve ser publicada ainda nesta sexta, em edição extra do Diário Oficial do DF. No lugar, deve ser empossado o atual chefe de gabinete da Casa Civil, Guilherme Abreu, que já chefiou a pasta de Justiça de modo interino entre fevereiro e abril de 2016.

Em nota, Rollemberg disse que acata a decisão do PSD e “espera que o partido na Câmara Legislativa do Distrito Federal continue apoiando as propostas importantes para o desenvolvimento da cidade”.

O comunicado do Buriti também diz que “a participação na administração pública de Brasília pressupõe comprometimento e lealdade aos princípios que nortearam a formação da chapa vitoriosa em 2014”.

O PSD distrital é representado na Câmara Legislativa pelo deputado Cristiano Araújo, e no Congresso Nacional, pelo deputado Rogério Rosso.

Baixas no governo

O anúncio acontece exatamente um mês após o desembarque do PDT, outro aliado de primeira hora do governo Rollemberg desde a eleição, em 2015. A decisão foi oficializada após um mês de “cisão”, motivada pela reforma da previdência dos servidores distritais e outras discordâncias em projetos.

Em nota, o Palácio do Buriti lamentou a decisão do PDT, “que o obrigará a rever o espaço administrativo que o partido ocupava até então”. Em posição similar à desta sexta, Rollemberg disse esperar que o PDT votasse “a favor de projetos que sao do interesse e importantes para o desenvolvimento econômico e social do Distrito Federal”.

 

FONTE: G1/DF


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *