Rollemberg manda CEB questionar greve de funcionários na Justiça

O governador Rodrigo Rollemberg determinou nesta quinta-feira (9) que a Companhia Energética de Brasília (CEB) questione, na Justiça, a greve deflagrada pelos funcionários na última segunda (6). Em nota, o Palácio do Buriti afirma que a paralisação é “inadmissível” e causa “enormes e desnecessários transtortnos”.

“É inadmissível que, num momento em que boa parte da cidade sofre sérios danos com as sucessivas enxurradas, os funcionários da empresa entrem em greve e deixem de atender plenamente a milhares de pedidos de reparos”, afirma Rollemberg no comunicado.

Segundo o texto, o governo também quer tomar medidas, nos próximos dias, para garantir que os servidores que desejem trabalhar, em meio à greve, “possam ter acesso a seus locais de trabalho e assim deem continuidade ao atendimento a população brasiliense”.

Até a tarde desta quinta, o sistema da CEB registrava 2.842 serviços em aberto. O número, de acordo com a companhia, já exclui chamados repetidos, e corresponde à necessidade real de reparos na rede elétrica. Com a greve, apenas 30% dos funcionários estão trabalhando e, por isso, não há prazo para conclusão dos trabalhos.

O governo do DF também determinou à diretoria da CEB que corte o ponto dos servidores grevistas. Em nota divulgada na quarta (8), o sindicato dos funcionários da CEB informou que não recebe recomposição salarial desde 2014, e que não vai suspender a paralisação por conta das chuvas.

 

FONTE: G1/DF


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *