Temporal derruba muros, alaga vias e estoura rede de água no Sol Nascente

A chuva forte que caiu sobre a região do Sol Nascente, em Ceilândia, no Distrito Federal, causou estragos e deixou pessoas desabrigadas nesta quarta (1º) e quinta-feira (2). Segundo a Subsecretaria da Defesa Civil, parte de um sobrado despencou, e a construção inteira terá de ser demolida. Não houve feridos.

A água e o vento forte derrubaram toda a estrutura do térreo, deixando apenas uma coluna para sustentar o andar superior. Em entrevista à TV Globo, um morador informou que quatro pessoas estavam no local no momento das chuvas, mas conseguiram sair a tempo. O muro da casa vizinha também foi atingido.

Até a tarde desta quinta, seis famílias tinham sido desalojadas em função do temporal, e estavam abrigadas na casa de parentes. Não há previsão para que os moradores sejam autorizados a voltar para os imóveis – mesmo nos casos em que a estrutura principal da casa ainda está de pé.

Na altura da chácara 125, a avenida principal do Sol Nascente cedeu. Buracos de grande proporção se formaram em menos de dez minutos e “engoliram” carros que estavam estacionados na via.

Em diversas ruas, a força da correnteza levantou blocos de asfalto, inundou casas e danificou imóveis e veículos. Imagens divulgadas em redes sociais mostram que um morador foi arrastado pela enxurrada, e socorrido por moradores. O G1 tenta confirmar a autoria e a data das imagens.

Reparos, e mais chuva
Pela manhã, máquinas enviadas pelo governo tentaram cobrir os buracos. Enquanto os reparos eram feitos, um caminhão com 14 toneladas de brita começou a afundar, e teve de ser esvaziado. Segundo os moradores, uma obra de esgoto foi feita recentemente pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) naquela região.

A inundação deixou ilhados os moradores das chácaras 122 a 125. Segundo a Defesa Civil, ainda não é possível dizer o que aconteceu na área, mas há a suspeita de que a rede da Caesb estava entupida.

“Enquanto isso, a Defesa Civil vai estar monitorando a situação, as edificações, a rua. Em qualquer sinal de perigo, nós nos mobilizaremos para retirar as pessoas, se for o caso”, afirmou à TV Globo o tenente-coronel Sinfrônio Lopes Pereira.

Em nota, a Caesb afirmou que a rede foi entupida, possivelmente, pela criação de ligações clandestinas. Segundo a companhia, os trechos afetados já foram desobstruídos, mas ainda há trabalhos para recuperar as ruas.

 

FONTE: G1/DF


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *