Justiça devolve cargos a distritais; MP deve pedir desculpas?

raimundo-renato-e-julioUma coisa é certa: a Operação Drácon conseguiu trincar a imagem dos deputados distritais depois de envolvê-los num suposto esquema de corrupção com o mal uso de R$ 30 milhões em emenda parlamentar. Muitos comentários de eleitores arrependidos de terem votado nos tais parlamentares.

As investigações, aparentemente, foram conduzidas “meio atropelada”. Esta constatação procedeu fortemente do meio político. E até que seria uma articulação do Palácio do Buriti.

Constatação verídica ou não, algumas situações acabaram corroborando para essa tese. Uma delas foi publicada por Guardian DF, quando os deputados conseguiram na justiça o acesso ao inquérito da operação Drácon, e não identificaram seus nomes. Ficaram animados. Perguntavam-se, como a justiça nos afasta da Mesa Diretora se os nossos nomes nem foram citados no inquérito?

Nesta terça-feira, 18, a justiça voltou atrás na decisão em que afastou três integrantes da Mesa: Raimundo Ribeiro (PPS), Renato Andrade (PR) e Julio Cesar (PRB). Assim, o trio reassumiu os respectivos cargos.

Conversando com alguns deputados distritais, uma atitude chegou a ser cogitada: de que o Ministério Público deveria pedir desculpas pelo pedido de afastamento “precipitado”, medida essa que também foi adiantada por Guardian DF. Obviamente, o MP não pedirá desculpas. Os parlamentares sabem disso. Mas outra coisa é certa: ficará uma pulga atrás das orelhas nas próximas ações da justiça. Enquanto isso, eles vão tentar reconstruir a imagem parlamentar.


Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *