Boletim da SES mostra mortes e casos da gripe H1N1

Dênio Simôes/Agência Brasília
Dênio Simôes/Agência Brasília

De janeiro até 21 de maio, foram confirmados 145 casos de gripe por H1N1 em Brasília. Centro e três pessoas tiveram a doença de forma mais grave. De acordo com o Boletim Epidemiológico Influenza nº 8, divulgado nesta sexta-feira, 27, pela Secretaria de Saúde, não houve novos registros de mortes. Até agora, dez pessoas morreram e um óbito ainda está sob investigação.

O número de gestantes que contraíram a gripe também permaneceu. São 16, sendo que todas tiveram alta hospitalar após evolução do quadro para cura, segundo o boletim. Entre os 103 casos graves, 56 são adultos de 20 a 59 anos, 20 idosos, 23 crianças de até 9 anos e 4 adolescentes de 15 a 19 anos.

A incidência de H1N1 em 2016 tem sido atípica em comparação a anos anteriores. A doença apareceu mais cedo no calendário e com maior número de casos. Por isso, a campanha de vacinação foi antecipada em Brasília e em outras unidades da Federação, como São Paulo.

A campanha, que começou em 18 de abril, foi encerrada no DF em 20 de maio, com 631.278 pessoas vacinadas. A previsão era de que 609.105 recebessem a imunização. Portanto, a cidade ultrapassou a meta de vacinação estipulada pelo Ministério da Saúde, com 103,6% do público-alvo alcançado.

Ao considerar os grupos prioritários separadamente, em todos também foi superado o índice de 80% da população-alvo imunizada. Entre crianças com menos de 5 anos, 87,6% foram vacinadas. Da estimativa total de gestantes, 88,5% receberam a substância. Os grupos de puérperas (mulheres que deram à luz há até 45 dias), trabalhadores da saúde, idosos e pessoas com morbidades superaram 100% de imunização do número estimado.

Fonte: Agência Brasília


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *