Gasolina subiu. Para desespero de Chico Vigilante

Fábio Rivas/CLDF
Fábio Rivas/CLDF

Por Elton Santos

Todo mundo esperava a redução no valor dos combustíveis. Mas não com tanta euforia como o deputado distrital Chico Vigilante (PT). Ele foi o protagonista na CPI dos Combustíveis que descobriu um cartel no DF. No final do ano passado, a Polícia Federal desarticulou a organização. Assim, se esperava aplacar a ascensão do preço da gasolina.  Isso não ocorreu e o parlamentar, e nota, reclamou.

“Esse aumento foi realizado sem motivo algum porque não houve reajuste dos combustíveis na Petrobras e nem nas Distribuidoras. Ou seja, essa atitude criminosa do cartel é um deboche à ação da Polícia Federal e do CADE”, acusou.

Leia a nota completa:

Nesta quinta-feira (7/1), a população do Distrito Federal foi surpreendida com mais um aumento no preço dos combustíveis. O cartel dos combustíveis voltou a agir de maneira cínica na cidade e elevou o preço da gasolina nas bombas, na média, em 20 centavos. Com isso, o preço do litro do combustível passou de 3,78 para 3,97.

Esse aumento foi realizado sem motivo algum porque não houve reajuste dos combustíveis na Petrobras e nem nas Distribuidoras. Ou seja, essa atitude criminosa do cartel é um deboche à ação da Polícia Federal e do CADE que, no mês de novembro, desmascarou a aliança criminosa dos donos das redes de postos de combustíveis na cidade.

Diante de mais esse escárnio, eu vou entrar com mais uma representação solicitando que o Procon-DF e o Ministério Público do Distrito Federal atuem com rigor contra o cartel da mesma forma como aconteceu no Maranhão, em Minas Gerais e em Goiás.

Nesses Estados, em atuação conjunta, os Procons e os Ministérios Públicos impetraram diversas ações na Justiça e conseguiram derrubar os preços absurdos que os proprietários de postos praticavam.

Atualmente, a realidade dos preços praticados nestes estados é completamente diferente.

Ontem, mesmo, dia 6, eu abasteci na cidade maranhense de Nova Olinda, distante mais de 300 km da capital do Estado, São Luís, a R$ 3,60 o litro da gasolina. Em Itapecuru-Mirim, também no Maranhão, eu paguei no litro da gasolina o preço de R$ 3,44.

Portanto, é necessário agir com rigor e rapidez contra a prática de preços abusivos dos combustíveis no DF sendo que, cadeia é pouco para os integrantes deste cartel.

É preciso que tanto o Ministério Público quanto o Procon tenham a coragem de fazer o mesmo que foi feito no Maranhão, por exemplo.

Eu continuarei fazendo a minha parte e sempre denunciarei em todos os fóruns as atitudes nefastas que porventura este cartel vier a realizar no Distrito Federal.


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *